As reportagens mais lidas de 2020

As matérias mais clicadas trazem retratos sobre o ano que se passou

A Agência UVA Barra teve que se adaptar às medidas de isolamento social em decorrência ao novo coronavírus. Os eventos foram virtualizados e os repórteres tiveram que trabalhar em esquema de home office. Entretanto, o leitor da Agência UVA Barra teve acesso a matérias que deram conta de registrar como estamos enfrentando esse momento. As reportagens mais vistas de 2020 refletem a o que acontece na sociedade.

A matéria mais vista é intitulada “Representatividade Negra nas artes”, de Greicy Kelly Gomes . Ao longo do texto e do vídeo, é possível compreender como a população preta brasileira encontra barreiras por conta do racismo estrutural. Para a autora, o tema se faz necessário por ainda existir uma disparidade entre negros e brancos em oportunidades. Apesar de serem mais da metade da população do país, a hegemonia nas artes ainda é de pessoas brancas. Por isso, o debate é crucial, segundo Greicy.

Ouça o áudio de Greicy Kelly Gomes sobre racismo

A segunda reportagem mais clicada de 2020 foi “Alunas da Veiga de Almeida são selecionadas para mostra “Novos Talentos Brasileiros – Design e Arte”. A matéria traz a trajetória das alunas do curso de Design de Interiores que tiveram os projetos aprovados para a mostra Novos Talentos Brasileiros. Os desafios de desenvolver um projeto durante o isolamento, a logística de produzir um móvel e a sensação da aprovação são alguns dos temas abordados pelas alunas. 

Para a professora Silvana Rocha, responsável pela disciplina que deu origem aos projetos, o reconhecimento é inesperado, mas agradável. O que começou em sala, ganhou espaço na mostra e se destaca entre as reportagens mais lidas de 2020.

Ouça o áudio da professora  Silvana Rocha sobre reconhecimento

A terceira matéria mais lida de 2020 é intitulada de “Mulheres em situação de violência: um problema brasileiro”, escrita por Beatriz Barbosa e Rafaela Barbosa, autora do presente texto. A reportagem trouxe o debate sobre violência contra mulher no dia 25 de novembro, dia Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher. Além de relatos de quem já passou por situações delicadas a reportagem provoca o leitor a olhar o tema por uma outra ótica. 

Para Beatriz Barbosa, poder falar sobre um tema tão sensível e ter o reconhecimento do público é importante para a carreira profissional como comunicadora. Para ela, o caminho do jornalismo foi algo natural. “O jornalismo me escolheu”, afirma Beatriz. 

Ouça o áudio de Beatriz Barbosa sobre a importância do debate sobre violência contra mulher

O ano de 2020 se aproxima do fim. As reportagens mais lidas trazem alguns pontos em comum: o desafio do distanciamento nas atividades laborais, problemas da sociedade brasileira e como é possível superar os obstáculos. Além dessas reportagens, a Agência UVA Barra produziu outras matérias  e podcasts que são um retrato de como os brasileiros passaram por 2020. 

A pandemia de COVID-19 deixa rastros irreparáveis. São quase 200 mil vidas perdidas ao longo do ano. Saber os rumos do ano que se inicia não é tarefa do jornalismo: vacina, crises políticas, reformas, são ainda incógnitas. Entretanto, o leitor pode contar com mais um ano de reportagens que visam sempre trazer a ética que move o jornalismo. 

Rafaela Barbosa – 8º período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s