Museu da Imagem e do Som debate os direitos autorais

Evento convidou o público a refletir sobre a questão da propriedade intelectual na atualidade

O Museu da Imagem e do Som recebeu na última sexta-feira (27), o workshop “Direitos Autorais em Museus: Desafios Atuais” que contou com a presença dos especialistas da área, Rodrigo Borges e Ana Barcellos que falaram sobre como é o processo de regulamentação de exposições de obras e acervos de museus.

Durante a palestra, os especialistas falaram do desconhecimento da lei de direitos autorais por parte das pessoas que trabalham nos museus. Segundo Ana Barcellos, existe uma crença entorno dos museus, que o seu papel de difusor de cultura, permite com que eles estejam imunes às leis. “Os museus em muitos casos acabam esbarrando em direitos que são da obra do criador, é preciso valorizar o trabalho dos artistas”, disse Ana

A especialista Ana Barcellos apresentou as dificuldades dos museus em relação aos direitos dos artistas – Foto: Lucas Souza

Ela ainda destacou as dificuldades encontradas na hora de conseguir a liberação de uma obra com as famílias de artistas que são falecidos. É preciso fazer os herdeiros entenderem que as vezes o melhor jeito de preservar a obra de alguém é torná-la pública. “Muitos artistas nós não sabemos que existiram, porque os herdeiros não quiseram liberar seus acervos”, comentou Ana Barcellos

Hoje em dia as leis estão diretamente ligadas a criação humana. O Advogado Rodrigo Borges ressaltou os desafios que as novas tecnologias e a internet vão trazer para a área de direitos autorais. “No futuro teremos obras criadas por inteligência artificial, algoritmos, e teremos um desafio em tentar entender quem a lei deverá proteger”, afirmou Rodrigo.

O advogado Rodrigo Borges falou sobre a questão dos direitos autorais no futuro – Foto: Lucas Souza

O público presente enfatizou a importância de debater o tema da palestra. Para o designer Nicolas Cesário, é muito relevante ter acesso a esse tipo de informação. “Como designer eu preciso entender mais como eu posso usar as minhas artes e ao mesmo tempo não desrespeitar a obra de outro autor”, declarou.

Já a historiadora Mariana Coutinho, destaca o equilíbrio que é preciso ter entre a produção do artista e as instituições. “Você tem dois eixos, de um lado o direito dos criadores e de outro a necessidade de resguardar os museus que divulgam e tornam as obras acessíveis a todos”, comentou

Lucas Souza – 2° Período | Jornalismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s