A infância que grita aos ouvidos, nova obra de Mara Mangorra

Autora publica primeiro romance e-book na Amazon e concorre a 2° Edição do Prêmio Kindle

WhatsApp Image 2017-08-17 at 15.17.24
Mara Mangorra revela que o amadurecimento foi fundamental para vencer timidez e publicar primeiro e-book. Foto: Isabelle Amancio/ Edição: Vanessa Cassidy

A autora Tânia Mara Mangorra, ou apenas Mara Mangorra, como ela gosta de ser chamada, conta por meio do livro online, A Infância que Grita aos Ouvidos, a história de Lúcia, uma mulher que vivendo a transição para a vida madura se encontra em meio aos conflitos internos e decide procurar uma ajuda profissional. Sob o olhar da psicanalista, Drª. Fernanda, a narrativa ganha forma à medida que a protagonista começa a se redescobrir. A romancista busca com isso, prender seus leitores até as últimas páginas, com uma escrita delicada, detalhada e poética.

Desde pequena, ela desenvolveu o gosto pela literatura e pela poesia, por meio de leituras que seu tio deixou na época da ditadura. Aos doze anos, já conhecia obras de autores renomados como Carlos Drummond de Andrade e João Cabral de Melo Neto. Influenciada por eles, decidiu cursar a faculdade de Letras e logo depois lançou o primeiro livro impresso de poesia Solidão na Areia Molhada, de 1999. Entretanto, o desafio maior era recorrer às editoras, uma vez que seu nome ainda era desconhecido.

Apesar da dificuldade constante em divulgar a literatura, Mara viu uma oportunidade de publicar seu e-book, e participar da 2° edição do Prêmio Kindle de Literatura do site da Amazon.com.br que faz parceria com a Editora Nova Fronteira. Segundo a página da internet, o concurso voltado para autores independentes visa premiar uma obra literária por meio de uma comissão julgadora, em dezembro desse ano. “Seja qual for o resultado, para mim já está sendo um ganho enorme só pelo fato de participar e incentivar os novos autores. Precisamos de gente nova, sangue novo”, enfatiza.

Além dos livros eletrônicos contribuírem para o meio ambiente, as novas tecnologias permitem aproximar o autor dos leitores no mesmo espaço virtual. “ Sei que há a magia do livro impresso, mas hoje com a facilidade dos meios eletrônicos e a rapidez da internet, as pessoas podem ler em qualquer lugar”. Ela também acredita que as mídias sociais são de extrema importância para divulgar os novos projetos. “ Na página do Facebook, compartilho meus poemas com leitores e recebo muitos comentários positivos”.

Com planos de escrever o próximo romance, a escritora do primeiro e-book A Infância que Grita aos Ouvidos, revela sentir uma certeza de dever cumprido após alguns anos trabalhando nesse livro. “A sensação é de um parto, sabe? Um filho que está nascendo e que eu gerei durante anos”, emociona-se. Mara também aconselha aqueles que estão buscando começar nessa carreira de autor: “Se tiver oportunidade de fazer, faça. Sempre, sempre, sempre acredite que vai dar certo. Porque um dia vai dar certo”.

Isabelle Amancio – 4° período

3 comentários

  1. Matéria muito interessante!!!! Dar visibilidade aos novos autores é fundamental para o estímulo à produção literária no nosso país. A jornalista Isabelle Amâncio e a Agência Uva estão de parabéns pelaa iniciativa.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s