A XXVI Semana de Psicologia debateu diferentes olhares das narrativas psíquicas

O evento refletiu a atuação da profissão na atualidade

Entre os dias 05 e 09/09, o campus Barra sediou a XXVI Semana da Psicologia da UVA. Durante quatro dias a comunidade acadêmica participou de conferências sobre variados temas com a finalidade de gerar discussão e conhecimento aos estudantes de graduação e pós em psicologia e psicanálise.

Barbara Carissimi, professora e coordenadora do curso, descreve a Semana como um evento plural. O acolhimento e a escuta foram duas palavras que resumiram os encontros. “Nos mobilizou a pensar o papel do psicólogo na contemporaneidade”, relatou. 

Barbara Carissimi reflete a necessidade da Semana.


A rodada de palestras teve início com a psicóloga Carolina Pereira Motta, que apresentou “Pandemia: impactos e desafios com o distanciamento do ambiente escolar”. A conferência abordou assuntos como a transição para o ensino remoto durante a crise sanitária e a não democratização no acesso à internet.  “A escola é um lugar de cuidado, um protetor psicossocial”, declarou Carolina.

A área da psicologia analítica e a do esporte marcaram os primeiros dias. Yone Nasser explicou alguns conceitos mais complexos sobre a abordagem de Jung para a psicologia, já Adriana Lacerda destacou como o acompanhamento psicológico é essencial para o desenvolvimento de atletas de alto rendimento.

“Eu possibilito a oportunidade dos alunos se identificarem e já se direcionarem de uma forma profissional para a formação e atuação nesta área do esporte”.

Adriana Lacerda

Os tipos de fenômenos clínicos, dores e o excesso no hábito de medicação para tratamento foram explicados em “A Loucura Feminina”, com a mediadora Danielle Lamarca e psicóloga Jéssica Belchior, e “ Dor e Angústia: Afetos disruptivos na clínica psicanalítica”, comandada por Clarice Medeiros. As palestrantes mostraram a rejeição da dor na atualidade e o que o sofrimento pode contar sobre a história do indivíduo.

Para a aluna Vanda Cristina, do primeiro período de Psicologia, as reuniões permitiram conhecer mais sobre as pesquisas e como ela deseja colocar em prática toda a informação recebida. “A psicologia é muito rica, tem várias coisas que me interessam muito. Pretendo aplicar isso em trabalho voluntário e trabalhar com crianças e jovens, ou qualquer pessoa que precisa ser ouvida”, disse.

Dentre as palestras assistidas, a estudante Vanda Cristina destaca a psicologia analítica.

O último dia foi marcado pelo “XIX Encontro do Mestrado e o XII Encontro do Doutorado em Psicanálise, Saúde e Sociedade”, pela manhã da sexta, 09/09, e de noite o primeiro seminário de “Prevenção do Suicídio e a Clínica do Sofrimento Extremo”. Os estagiários da equipe de Urgências Subjetivas do Serviço de Psicologia Aplicada da unidade Barra comandaram as últimas palestras a partir de pesquisas feitas sobre saúde mental.

Em “Depressão: sua expressão na contemporaneidade”, foi debatido a causa dos dados relacionados com a depressão. Neibi Ribeiro, 8º período de psicologia, pesquisou que esses números estão relacionados à cultura do consumo, imagem e da internet. A aluna reforçou a importância da psicologia para o tratamento. “Procure uma ajuda especializada”, recomendou Neibi.

Déborah Duarte – 2º período
Bruno Barros – 2º período 
Juliana Vilete – 3º período
Pedro Amorim – 7º período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s