Qual a mudança hoje você quer para o futuro?

Histórias de como o ensino superior está além da sala de aula

O Jornal Nacional faz mais uma atualização do número de infectados pela Covid-19 que encerra no “boa noite” vazio do jornalista. Em seguida, a novela “Amor de Mãe” mostra a esperança infinita de uma mãe em busca de um filho perdido. O público do BBB já aguarda ansioso pelas novidades da casa mais vigiada do Brasil. Nos mercados, é possível ver ovos de páscoa reluzentes e caros. O mês de março de 2021 é o retrato de um futuro que repete o passado do ano que se foi. 

O cenário descrito poderia ser sobre 2020 ou 2021 sem que causasse estranheza ao leitor. Apesar de separados por mais de 365 dias, o Brasil ainda enfrenta os desafios provocados pela Covid-19. Entretanto, muita coisa mudou de lá pra cá. O brasileiro aprendeu sobre N95, RT-PCR, cepas, distanciamento social e níveis de eficácia da vacina. 

O país se prepara para os desafios que tem pela frente. Na educação não poderia ser diferente. Professores e alunos reúnem o que aprenderam ao longo do ano de 2020 para repensar o futuro. 

É tudo pra ontem

A educação foi uma área bastante afetada pela pandemia. Milhares de alunos tiveram que se adaptar com a virtualização das aulas. Na Universidade Veiga de Almeida, funcionários se organizaram desde o início para manter as atividades e em quinze dias a sala de aula física abriu espaço para milhares de novas salas, cada um em sua casa, mas sem perder a empatia pelo momento. Beatriz Balena, reitora da UVA, foi uma das responsáveis por isso. 

Beatriz Balena acredita que a Universidade deve ser um local de formação profissional e pessoal. Foto: reprodução da internet

Beatriz se comprometeu em realizar reuniões com os alunos para ouvi-los, entender os problemas e buscar soluções. Uma das medidas adotadas é a assistência psicológica gratuita para funcionários e estudantes através da marcação na área de psicologia e do setor de recursos humanos. O objetivo é minimizar os efeitos negativos da pandemia na saúde mental de quem faz parte do time UVA. A ação beneficia quem precisa de tratamento e ajuda a formar o futuro profissional para o mercado.

Outra novidade é a parceria da Universidade com a plataforma Workalove. A iniciativa foi anunciada na live inaugural do período de 2021.1 com Fernanda Verdolin, CEO da Workalove. Para Beatriz Balena, essa parceria é um marco da sua administração. “É isso que a minha gestão como um todo e a política institucional está comprometida: com o sucesso do nosso estudante” 

Ouça o áudio de Beatriz Balena sobre a parceria da UVA + WorkaLove

Entre as lições que ela leva para o futuro, o aprendizado que teve nesses mais de 365 de gerenciamento de crise foi o mais importante. Além de ter que manter a equipe alinhada, ela teve que repensar a forma de gerir, uma vez que planejamentos a longo prazo já não eram viáveis. 

“A gente aprendeu muita coisa. Principalmente, a gente aprendeu que planejamento e liderança se faz com pessoas e não para pessoas”

Beatriz Balena

Beatriz teve que liderar a UVA durante a pandemia que ainda segue presente na rotina do brasileiro. Ela não fez isso sozinha, foi preciso manter outros membros da equipe engajados em manter todas as engrenagens funcionando. 

Cale o cansaço, refaça o laço

Manter todos os professores e alunos unidos foi uma tarefa que a Diretora Acadêmica do campus Barra, Nara Iwata, teve que enfrentar, mas não foi o único desafio. Nara mantinha um relacionamento próximo com os alunos e o campus, mas teve que reinventar essa relação.

“O campus Barra era praticamente minha primeira casa. Ter que sair de lá, ficar 6 meses sem voltar e agora voltar esporadicamente é muito estranho. É como se eu tivesse sido tirada de casa.”

Nara Iwata

Nara foi testemunha do que as pessoas são capazes de fazer quando usam da empatia. Segundo ela, esse foi o grande ensinamento desse período. “Houve uma empatia entre alunos e professores que nunca se viram presencialmente. A gente se tornou mais próximo dos outros”, disse. 

Nara sofreu com o distanciamento social, mas viu surgir durante a pandemia a união entre alunos e professores. Foto: arquivo pessoal

Ouça o áudio de Nara sobre a aproximação que ocorreu na virtualização. 

Do sentimento de sair de casa, a Diretora Acadêmica do campus Barra se viu diante de um fenômeno que aconteceu diante das telas de computador e smartphones que pode ser resumido em uma palavra: ubuntu, vocábulo de origem Zulu que significa “sou o que sou pelo que nós somos”. 

Partir, voltar e repartir

A pandemia trouxe a empatia e a solidariedade como pautas cotidianas. Alunos e professores utilizaram desses sentimentos aflorados para manter projetos em andamento e reformular a atuação. 

A professora Carla Moura, do curso de Direito do Campus Barra, coordena um projeto que tinha como missão fazer valer a um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU que visa o acesso à água limpa e saneamento. Além disso, ela lidera NUPPS – núcleo de pesquisas e práticas sustentáveis da UVA Barra e comanda uma ação coletiva chamada “Multiplicando Amor” que atua no amparo de vulneráveis

Nenhuma atividade foi paralisada. O projeto da ODS 6 virtualizou todas as ações e conseguiu manter a comunidade do Terreirão, onde atua, engajada. O “Multiplicando Amor” segue com ações pela cidade e já conseguiu enviar ajuda para outros lugares do Brasil. O NUPPS se atualizou e propôs eventos e debates multidisciplinares sobre sustentabilidade. Em cada projeto, havia a vontade de Carla e dos estudantes de manter as atividades, apesar de tudo.  

“Esse apoio grupal e as possibilidades que a tecnologia nos oferece foram fundamentais para que pudéssemos continuar fazendo tudo o que acreditamos que pode transformar o mundo através da empatia e da solidariedade”

Carla Moura

Paulo Marcio, é um desses alunos de Carla. Ele fez parte do NUPPS e ajudou na continuação do projeto virtualizado. Para Paulo, as lições que 2020 deixou serão colocadas em prática a partir de agora. 

“Fazer com que as coisas realmente valham a pena, é o que eu espero na minha vida como um todo. Poder pegar todas essas lições, tudo que eu aprendi com todos esses desafios que foram enfrentados em 2020 e poder colocar tudo isso em prática e fazer valer a pena”

Paulo Marcio 

Paulo faz parte de um grupo de alunos que comprou a ideia de tornar o mundo um lugar melhor. Juliana Severo Lopes Prado, aluna egressa do curso de psicologia, fez parte da Comissão Organizadora da V Feira de Práticas Sustentáveis. Durante a Feira, ela ainda era aluna e viveu na prática os desafios de ter que repensar um evento virtualmente. 

“Foi uma experiência muito boa! Tivemos que nos adaptar e nos reinventar, encontrar a força e a coragem na dor e seguir em frente. Essa lição ninguém ensina, além da vida”

Juliana Severo.

A V Feira de Práticas Sustentáveis foi organizada pela professora Lurdes Domingos. A feira  teve como tema “2020, o ano do distanciamento social: Lições, Reflexões e Ações”, trazendo o contexto pandêmico para o centro dos debates. Ela já planeja a próxima edição que vai trazer um debate sobre o futuro a partir de uma perspectiva de pandemia. 

Ouça o áudio de Lurdes Domingos sobre as expectativas para a próxima Feira de Práticas Sustentáveis

Olhar para o amanhã não é tarefa fácil. A reflexão sobre os dias e ensinamentos se faz necessária para que não se cometam os mesmos erros. De olho no futuro, alunos, professores, coordenadores e a reitoria se preparam para levar para os próximos anos tudo o que aprenderam nesse um ano de pandemia no Brasil. 

Sujeito de sorte 

A música de Belchior chamada “Sujeito de sorte” traz a narrativa de alguém que sofreu, mas é grato por seguir vivo. Um dos versos voltou a ser compartilhado por conta de uma releitura do rapper Emicida, a música diz “ano passado eu morri, mas esse ano eu não morro”. No ano de 2021, o verso de Belchior extrapola a licença poética para uma realidade brutal. O Brasil vive um momento crítico e talvez o pior  momento na pandemia. Ainda assim, funcionários e estudantes seguem as atividades. A reitora Beatriz Balena acredita que o cenário atual faz com que a universidade seja também um local de formação de humanidade. 

Assista ao vídeo de Beatriz Balena sobre a Universidade como local de experiências

“Às vezes a felicidade e a alegria estão em pequenos prazeres ao longo da nossa vida” Beatriz Balena  

Dificilmente alguém poderia imaginar que de março de 2020 a março de 2021 o país enfrentasse tantos desafios. Os pequenos prazeres que Beatriz ressalta foram capazes de manter a vida possível para algumas pessoas. Desvendar que março de 2022 pode trazer é tarefa fadada ao fracasso. Enquanto isso não acontece, alunos e professores seguem as atividades na esperança de construir hoje as mudanças que querem para o futuro. 

Rafaela Barbosa – 8º período

2 comentários

  1. Boa noite a quem interessar Possa, as minhas palavras, sou Inventor por paixão, tenho 3 Inventos patenteados, 2 pode ser Visto na Internet, degraus auto Sustentáveis, com Oliveira Moncada Moncada e Gerador Automático de Acetileno, com Oliveira Marcos Vicente Moncada, Tenho mais uns 20 nas gavetas,
    Amo os trabalhos de professores e Gestores principalmente a Dra Bia Balena e Beatriz Balena,e Outros Mais, que são abaixo de Deus, Minhas esperanças, estou na Uva Cursando gestão ambiental, Escrevo planos sociais, o mais Recente é sobre, cooperativas Móveis propriedade da união Administrada por gestores, para Trabalhar com os recursos da Própria natureza do planeta Terra Sejam minerais, vegetais ou até Mesmo efeitos, físicos químicos, Com resultados finais, para os Cofres da União a serem gastos Com remunerações dos executores Esubsistência dos baixa renda, Moradores de rua, os desprovidos De competividade, que inclusive Farão as atividades braçais das Cooperativas, quero deixar claro Que valorizo tanto as mentes Quando os braços e isso é um Resumo, tenho mais escritos.

    Curtir

  2. Boa noite, me desculpem mas quero falar UAU, saúdo as Dras :Balenas e Outros (as) profissionais do setor Enganjados nessa brilhante disciplina Sinto a cada dia o aproximar do meu E de quem me conhece o sonho de Junto com os que me cercam Realizado que é interagir com o Conhecimento de uma faculdade e o Valor do governo federal e mudar a Qualidade de vida dos menos Favorecidos, melhorando assim a Qualidade para todos, digo isso Porque eu poderia ter me tornado um Marginal, mas Deus não quis e me Mandou estudar e é o que faço, Sempre que possível. Estou muito Feliz, animado, não vejo a hora de Conhecer ham todos. Grato, Abraços.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s