Jornada discute a psicologia na área clínica e hospitalar

Autismo, violência contra mulher e adoção são assuntos do evento conduzido pelo curso de Psicologia do campus Barra

Fortalecer os conhecimentos da profissão. Esse foi o foco da V Jornada Sócio e Clínica Institucional, organizada pelo curso de Psicologia da Universidade Veiga de Almeida, que aconteceu nos dias 27, 28, 29 e 30 de maio, na unidade Barra. O evento contou com palestras que complementaram os conhecimentos aprendidos em sala de aula.

A jornada abordou diversas especializações da área da psicologia. No primeiro dia (27/05) foram apresentadas as mesas “O psicólogo no Hospital Geral: Possibilidades e desafios”, com o psicólogo Guilherme de Andrade Salgado e uma visão voltada para o paciente como um ser e não só como um corpo e “Autismo e alguns dos seus desafios clínicos” com a psicóloga e psicomotricista Flávia Lopes Pintos Duarte, e os preceitos da psicomotricidade aplicados na clínica com crianças autistas. Bianca, aluna do primeiro período do curso, salienta que escutar profissionais que entendem do assunto é enriquecedor. “É preciso conhecer para poder escolher”, destaca ela.

Ao final das paletras do primeiro dia, um estudante da UVA, ganhou coragem para falar sobre as dificuldades e os preconceitos que ele sofreu em decorrência disso. Confira esse relato com a professora Ondina Santos, coordenadora do primeiro dia de evento:

O segundo dia (28/05), abordou novamente o Autismo, com a presença da psicóloga e mestre em Psicologia Cognitiva, Andreza Moraes. Ela explicou aos futuros psicólogos interessados a seguir essa área, como ocorre o trabalho de avaliação e reabilitação em crianças com transtorno do espectro autista. “A avaliação neuropsicológica é um instrumento para observar a linguagem, o pensamento, a atenção e a capacidade de cognição social”, explica Andreza. Traçado o perfil do paciente, a reabilitação procurar melhorar o desenvolvimento dessas habilidades que estão prejudicadas.

As mulheres em situação de violência foi o assunto da palestra do terceiro dia (29/05). A defensora pública, Mathilde Afonso, apresentou uma retrospectiva histórica de como a mulher não possuía direto de defesa e o que é a Lei Maria da Penha. “Eu acho fundamental um debate desses para os alunos de psicologia por conta da necessidade de se trabalhar interdisciplinarmente”, conta Mathilde, que coordena o NUDEM, Núcleo em Defesa das Mulheres Vítimas de Violência de Gênero. O núcleo atende de forma humanizada e sem julgamento essas vítimas. “Há o desafio de sustentar a dor e de transformar a dor em potência”, comenta a psicóloga Luisa Escher, que também esteve presente no dia, acerca do trabalho clínico com essas vítimas.

Mathilde Afonso, coordenadora do NUDEM, fala sobre os diretos das mulheres ao longo dos anos – Foto: Ana Carolina Fernandes

Essa semana produtiva para os alunos do curso de psicologia terminou, na quinta-feira (30/05), com uma conversa sobre a participação do psicólogo no processo de adoção e adaptação da criança quando adotada. Estiveram na conversa as psicólogas Solange Diuana e Joyce Licurgo, com a coordenação das professoras Eizabeth Paiva e Monica Dias. Confira:

.

Ana Carolina Fernandes – 3º Período | Jornalismo

Colaboração: Gabriel Torres – 5º Período | Jornalismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s