#ProjetoDiversidade: Um dia de ética e sustentabilidade

rthfh.jpg

Ética e sustentabilidade nunca estiveram tão próximas. A II Feira de Práticas Sustentáveis da UVA reuniu em um só lugar todos os conceitos para se alcançar uma vida melhor, além, é claro, de ensinar a cuidar do mundo ao redor. Um evento recheado de workshops, palestras e atividades culturais, cujo objetivo foi inserir profissionais no meio universitário para apresentarem seus trabalhos e propor uma interação com os alunos, professores e visitantes, sempre incentivando o respeito à diversidade e a relação ética entre o meio ambiente e a sociedade.

Em sua segunda edição, a feira foi importante para mostrar aos participantes que toda essa discussão ética tem correlação com a sustentabilidade e a diversidade. Segundo a professora e organizadora do evento, Maria de Lurdes Domingos, não há como uma sociedade progredir se não houver preocupação com a maneira de se conviver, de respeitar o próximo e reconhecer diferenças. “Sustentabilidade tem a ver com tentar melhorar a qualidade de vida dos indivíduos, da sociedade e do ambiente. A ideia da feira era colocar isso em pauta e fazer com que a universidade seja parceira e um dos atores sociais que leva adiante essa discussão e viabilizar práticas de melhoria da cidadania”.

As palestras abordaram de projetos de carreira a relações étnico-raciais, de microbiologia a história e poesia, tudo para agregar ainda mais o conhecimento a quem reservou algumas horas do dia para dar atenção a esses temas. Para os curiosos, uma novidade assim é sempre bem-vinda. O estudante Vinícius Dal Cere, que cursa Jornalismo, assistiu a uma das palestras sobre técnicas de compostagem, e se surpreendeu. “Quando me dei conta, estava numa sala somente com alunos de Engenharia e Biologia, e, para minha surpresa, estava me interessando pelo assunto”.

Com diversas atividades e bastante troca de informações, o evento também promoveu a integração entre palestrantes, que acabaram fazendo parceiras entre eles, para, quem sabe no futuro, trabalhar em novos projetos. Mas para Maria de Lurdes, apesar de muitas conquistas, o objetivo de fazer com que a maioria dos alunos interagisse com a feira ainda não foi totalmente atingido. “Isso é uma pena, porque o evento realmente foi feito com base na geração de conhecimento para o nosso público interno, que não participou como esperávamos, não teve muita curiosidade de interagir com os expositores, participar dos workshops e talk shows”.

Apesar de alguns altos e baixos, a Terceira Feira de Práticas Sustentáveis já está no papel, porém, novos formatos e iniciativas estão sendo analisados. Parcerias, estágios, tudo para que os alunos possam entender que a participação deles fará com que tenham a oportunidade que no momento não estão conseguindo alcançar. E, claro, o evento sempre estará de braços abertos a novas ideias. “Eu gostaria muito de saber que os alunos podem mexer no que há de mais interessante para eles. Isso é basicamente a ideia da sustentabilidade, para a qual a gente abre sempre diálogo”, conclui Maria de Lourdes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s