Agência UVA Barra assistiu: “Siron: tempo sobre tela”

Foto: divulgação

“Siron: tempo sobre tela”, documentário dirigido por André Guerreiro Lopes e Rodrigo Campos, faz uma imersão na mente do artista plástico brasileiro Siron Franco. O filme apresenta diversos trechos de filmagens, que narram a trajetória dele com um toque poético e experimental.

Em um longa desse tipo, ter conhecimento prévio sobre a figura central apresentada torna a experiência mais completa. Porém, pelo fato de Siron estar, os diretores adotaram uma montagem não linear na qual não conhecer o artista não faz tanta diferença. É como se houvesse um diálogo entre filme e espectador. É impossível não terminar o documentário sem se sentir mais próximo daquela figura.

A linguagem experimental deixa de lado o modelo clássico de documentário, permitindo uma assinatura muito marcante para a obra. A utilização de imagens sem som, de trás para frente, com diferentes tipos de qualidade de imagens, dão um toque especial dentro da proposta apresentada. Foram aproveitadas gravações em diversos formatos, o que possibilitou ter um contraste de cores vibrantes, muito presentes nas pinturas de Siron.

A forma diferente de narrar a vida do artista plástico pode acabar se tornando maçante para pessoas que não estão acostumadas com um cinema que foge dos padrões de mercado. Entretanto, o formato pode conquistar quem se deixar envolver ao longo da projeção, criando uma experiência única.

Além disso, o documentário possibilita ao espectador mais casual tentar entender o processo que ocorre antes, durante e depois de uma criação artística. Como o pintor usa de acontecimentos da realidade em torno para a partir dela colocar os sentimentos guardados para fora. Se utilizando de imagens sobrepostas, ele vai tentando passar para tela aquilo que vê dentro de si.

O documentário brinca com a percepção do tempo, um dos temas centrais do filme. Com a utilização das filmagens de diferentes épocas da vida do artista, os diretores fazem uma análise de como os anos influenciaram e modificaram a forma de criar e pensar a pintura dele. As diferentes vertentes do pensamento de Siron, como ele enxerga a vida e como as pessoas o veem. Em certo momento até é levantado o questionamento sobre o valor da arte, como precificar algo que é tão individual e subjetivo para cada um.

“Siron: tempo sobre tela” é um estudo profundo sobre um dos artistas mais relevantes do cenário nacional e internacional. Siron Franco, que para muitos pensadores, como Ferreira Gullar, é um dos maiores pintores brasileiros de todos os tempos, se apresenta neste documentário, sob olhar de André Lopes e Rodrigo Campos, como uma das figuras mais interessantes e intrigantes que a arte já revelou.

O documentário estreou, na última quinta-feira (25), nas cidades em que os cinemas estão abertos, e está disponível nas principais plataformas digitais de aluguel de filmes.

Assista ao trailer de “Siron: tempo sobre tela”

Lucas Souza – 5° Período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s