Agência UVA Barra assistiu: Libelu – Abaixo a Ditadura

Foto: divulgação

“Libelu – Abaixo a Ditadura”, primeiro documentário do diretor estreante, Diógenes Muniz, conta a trajetória do grupo estudantil “Liberdade e Justiça”, que ficou conhecido como Libelu, e a luta deles contra o regime militar. O documentário propõe uma viagem para aquela época, apresenta como era a resistência durante o período da ditadura e mostra as mudanças que ocorreram com os militantes da Libelu ao longo dos anos.

A produção, que surgiu a partir do poema de Paulo Leminski, sobre os movimentos estudantis, faz uso de imagens da década de 70 para dar contexto e dinamismo à narrativa. A edição trabalha muito bem o uso de arquivos. Os entrevistados narram momentos importantes que são entrecortados por filmagens ou fotos antigas.

Além disso, utilização de trechos de programas de televisão, matérias publicadas em jornais e revistas aproximam o espectador da visão feita pela mídia (que influenciava a sociedade) sobre quem eram aqueles jovens e pelo que eles lutavam.

Um dos pontos que o documentário enfatiza bastante é a mudança que essa geração passou. Para fazer isso, o diretor compara o discurso de algumas dessas figuras durante os tempos de militância, com o que eles pensam hoje em dia. Qual foi a importância de participar desse movimento para essas figuras, como isso impactou o trabalho delas e como essa atuação reverbera até hoje na vida de cada um deles.

O documentário traz o depoimento do ex-ministro da fazenda Antônio Palocci, o cientista político Demétrio Magnoli e o jornalista Reinaldo de Azevedo e outras inúmeras pessoas que viveram aquele momento histórico.

Um ponto que chama a atenção é a sensação de que muitos daqueles que lutavam contra um sistema, acabaram sendo absorvidos por ele. Até quem continuou dentro da luta política parece que perdeu um pouco da inocência ou do idealismo que os movimentos estudantis tinham.

Todos eles relembram os anos de resistência e analisam a força que o movimento tinha. Com um destaque muito grande para o fato de que a Libelu foi o primeiro movimento a sair dos centros acadêmicos e tomar as ruas. Além de ter sido um dos primeiros a puxar os gritos de “Abaixo a Ditadura” após a instalação do AI-5 (Ato Institucional Número Cinco) momento mais tenso de todo o período em que os militares estiveram no poder.

O diretor, Diógenes Muniz, faz questão de destacar como os militares agiam reprimindo o movimento. Imagens conseguem passar a dimensão da opressão que era feita em cima dos jovens. E fica evidente a intenção de traçar um paralelo entre o que ocorria no passado e os movimentos sociais atuais.

Mesmo depois de anos do fim da ditadura militar, o documentário “Libelu – Abaixo a Ditadura” mostra que a resistência e a luta ainda continuam muito presentes na sociedade brasileira. E que os movimentos estudantis ainda reverberam e as ideias que eram defendidas permanecem vivas e presentes na sociedade brasileira.

Assista agora ao trailer

Lucas Souza – 5º período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s