Agência UVA Barra assistiu: "Playmobil – O filme"

Foto: Divulgação

Nos últimos anos tivemos uma febre de filmes infantis que começou com “Uma Aventura Lego” de 2014 e desencadeou uma série de derivados. Agora, em 2019, é a vez dos brinquedos criados por Hans Beck em 1974 chegarem às telas de cinema em “Playmobil – O Filme”. O Principal ponto do longa é o roteiro. Se por um lado os primeiros minutos, que se passam no mundo real, surpreendem por introduzirem um tom musical leve e logo em seguida um drama que é abordado de forma superficial a história, por outro, toda a parte que se passa dentro do mundo dos brinquedos parece ser pouco inspirada e genérica.

Os irmãos Marla e Charlie sempre sonharam em viver muitas aventuras pelo mundo, porém após um trágico acidente, os dois perdem os pais e ficam sozinhos. Alguns anos depois, Marla assumiu as responsabilidades da casa e deixou o ímpeto pela aventura de lado, diferente do irmão que ainda lembra de como eles sonhavam com grandes feitos. Uma noite Charlie decide fugir e acaba indo parar em um museu cheio de bonecos de Playmobil. Marla vai atrás do irmão, nesse local os dois são transportados para o mundo dos brinquedos, onde precisam escapar de vários perigos em meio a altas aventuras.

Foto: Divulgação

É óbvio que o filme é voltado para o público infantil, que com certeza vai adorar, mas tivemos exemplos mais recentes que é possível agradar o público mais novo e ao mesmo tempo entregar uma história com uma mensagem um pouco mais profunda. O diretor Lino DiSalvo faz o que pode com o roteiro. Ele consegue trabalhar bem as cenas no nosso mundo, intercalando as cenas de musical e os momentos de dramas. O que mais atrapalha a parte do mundo Playmobil é a animação que tem uma textura muito simples, apesar do longa brincar com mais gênero como o de espionagem e ação, a direção não entrega muitas cenas que deem uma assinatura ou que o diferencie de outros tantos filmes infantis.

Um dos acertos do longa foi a escolha de alguns nomes do elenco. Anya Taylor-Joy que interpreta Marla, é um dos nomes mais promissores de Hollywood, estando presentes em filmes como “A Bruxa” e “Fragmentado”, aqui mostra outras facetas de atuação, cantando, dançando e fazendo um trabalho de voz muito eficiente. Ao lado dela temos Gabriel Bateman, outro que também vem de filmes como “Quando as Luzes se Apagam” e “Brinquedo Assassino”, faz um bom trabalho vivendo um Charlie sonhador e sempre disposto a viver aventuras. Outros destaques são as participações especiais de Daniel Radcliffe, e dos cantores Adam Lambert e Meghan Trainor que dão vida às vozes dos brinquedos.

“Playmobil – O Filme” tem uma história que apesar de simples, é empolgante, com bastante energia e cativante. Tem um bom elenco que consegue passear por vários estilos cinematográficos, porém o longa não consegue ser marcante ou inovador como outros recentes.

.

Lucas Souza – 2º Período | Jornalismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s