Tempo de Celebrar

Professores, alunos e funcionários da UVA se orgulham dos 45 anos da Universidade

25519965_10214601548656980_17177536_n
Biblioteca do Campus Barra

Cercada por natureza, construções antigas ou por centro comercial. A Universidade Veiga de Almeida (UVA) se faz presente em quatro regiões espalhadas no Rio de Janeiro, sendo uma na Tijuca, na Barra, no Centro da cidade e, em Cabo Frio, na Região dos Lagos. E foi seguindo o sonho de alfabetizar crianças, que o professor Mário Veiga de Almeida e a irmã embarcaram na Educação. O ensino superior iniciou com a fundação da Escola de Engenharia. Esse ano se comemora os 45 anos da instituição, que tem como destaque a harmonia entre professores, funcionários e alunos.

Esse bem-estar só é possível devido ao sentimento de confiança e camaradagem que são estimulados pela instituição. E aqui no Campus Barra, para comemorar, vários eventos envolveram alunos, professores e funcionários de uma forma bem harmoniosa. Como o Projeto de Iniciação Científica (PIC UVA), que é uma pesquisa feita por universitários com o auxílio de um orientador; o Viradão Cultural, evento criado na Semana de Design, que juntou palestras, workshops e atividades musicais e teatrais. O campus sediou ainda as semanas comemorativas de cada curso, como Comunicação Social, Psicologia, Engenharia, Moda e Direito, com o objetivo de aproximar os estudantes do mercado de trabalho. Enfim, teve festa, pesquisa e difusão do conhecimento.

Mesmo para aqueles que procuram aperfeiçoar dentro da área escolhida, a UVA, por meio da parceria com rede Ilumno, possibilita cursos de extensão internacional. Aqui na UVA-BARRA, veteranos e calouros de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, que desejam agregar mais experiências, contam com a TV UVA e a Agência de Jornalismo que se concentram nos núcleos da Tijuca, Barra e Cabo Frio. Já nos cursos de Ciências Exatas, o projeto de criação de robôs inaugurou uma forma de atuação, misturando alunos e professores numa atualíssima competição de robôs, incluindo a universidade na discussão sobre robótica. Os alunos de Engenharia ainda participaram de uma Batalha Final, que permitiu a interação dos campi.

Foi um ano especial que serviu para coroar todo esse tempo de difusão e propagação do saber. Uma universidade se faz com alunos, professores, funcionários, gestores, mas também muita harmonia, companheirismo e empatia. O que tem de sobra na UVA!

Conhecendo mais os profissionais da UVA

E para mostrar que esse sentimento está presente entre todos os integrantes dessa universidade, destacamos alguns profissionais que se dedicam de corpo e alma e dão o melhor para que tudo saia direitinho, para que os alunos possam sentir orgulho de fazer parte de uma universidade que se preocupa com o próximo.

E é bom que se diga: não é fácil deixar a UVA. Os alunos que se transformaram em funcionários, professores e coordenadores que o digam. Listamos a seguir alguns dos profissionais que se formaram na UVA e voltaram como professor, coordenador.

Beto Abreu

14937407_670828329759292_4243929138593896705_n
Beto Abreu com os alunos de Moda / Arquivo Pessoal

Poder estudar e trabalhar com o que ama e em um local que se identifica não tem preço. Beto Abreu, que já foi aluno e hoje é professor do campus da Tijuca e da Barra, sendo neste último coordenador de Moda, revela  os acontecimentos mais marcantes na sua vida profissional. O primeiro foi na formatura, em 1998, quando recebeu os prêmios Novo Talento UVA, avaliado por uma banca de docentes e, o prêmio Rio Sul de Moda, que foi votado por jurados da imprensa. Outro momento memorável foi o convite de uma ex-professora para dar aulas na Veiga. “Considero como prêmio também porque não entrei em um processo seletivo, me escolheram”, conta emocionado.  Beto concluiu o mestrado em Psicanálise na própria instituição, ele acredita que isso se reflete na forma como interage com os universitários já que o local permite essa aproximação. “Principalmente no campus Barra, sinto que criamos um laço forte. Fora do convencional, pois acredito que a natureza nos permite isso, converso com os estudantes até fora de sala, nos bancos da praça de alimentação, e até debaixo das árvores”, diz.

Celia Amorim

WhatsApp Image 2017-12-17 at 19.12.29
Professora Célia Amorim / Arquivo Pessoal

Considerada uma das 13 mosqueteiras, de acordo com o prof. Mário Veiga de Almeida a professora de Engenharia e Administração, Célia Amorim, trabalha na UVA há 40 anos. Ela brinca que já carrega a universidade por uma vida e que durante esse período fez diversos amigos, que são como bens preciosos, alguns até mesmo ex-alunos. “Já fui professora homenageada, paraninfa, patrona e nome de turma, o que não faltaram foram fortes emoções”, relembra. Celia acredita que uma das razões que a fizeram permanecer por todo esse tempo, foi a relação que conseguiu com os estudantes, apesar de a matéria matemática, ser considerada “O Bicho Papão” da Universidade. “Eu me entrego totalmente para ser entendida por todos e o feedback deles é sempre positivo”, admite. Ela deseja, pelo menos, mais 45 anos para a Veiga, e agradece toda a equipe que sempre confiou no trabalho. “Foram os momentos mais felizes da minha vida, tenho muito orgulho de vestir essa camisa há 40 anos”.

Nayra Almeida

22520060_1636795319685078_2072797565003931587_o
Psicóloga Nayra Almeida / Arquivo Pessoal

O contato com o próximo, seja dentro de qualquer ambiente de trabalho, seja em outros lugares é fundamental para garantir um bom convívio entre todos. Mas, não se resume apenas isso. A psicóloga Nayra Almeida, que atua há 7 anos no campus Barra e 1 na Tijuca, revela que é um privilégio trabalhar com o público e, em troca, recebe um retorno afetuoso dos alunos que são assistidos por ela. “Esse feedback é gratificante, porque eles reconhecem o nosso trabalho. E temos uma visão que vai além das salas de aula, no caso do meu trabalho, lido com pais dos alunos também, então acabo conhecendo-os melhor”, enfatiza. Para ela, que foi aluna da UVA antes de se tornar professora, passar a maior parte do tempo dentro da universidade é um privilégio. “É um momento gratificante, você entra no espaço que é quase bucólico, onde se está o tempo todo em contado com a natureza. O Campus Barra tem uma ótima localização”.

Maristela Fittipaldi

maristela1
Professora de Jornalismo Maristela Fittipaldi / Crédito: Agênciauva.net

Lugares contam histórias e deixam marcas na vida das pessoas. Para Maristela Fittipaldi, professora do Curso de Jornalismo, isso não poderia ser diferente, já que celebra esse ano os 45 anos de Veiga de Almeida e 20 anos trabalhando aqui dentro. Ela ainda conta que o momento mais marcante foi quando os alunos a escolheram para ser homenageada na formatura pela primeira vez. “O carinho dos alunos é um estímulo para que a gente siga em frente e continue se atualizando e aprimorando nossa didática e a troca que tentamos empreender em sala de aula, para que todos desenvolvam o máximo do potencial”. Maristela também conta que se sentiu emocionada ao receber um broche por completar 10 anos na UVA.

Guilherme Honrado

WhatsApp Image 2017-12-16 at 18.58.12
Assistente de Produção da Tv UVA Brra Guilherme Honrado / Arquivo Pessoal

O assistente de produção Guilherme Honrado, que trabalha na TV UVA da Barra, da diretora Mônica Miranda, começou a carreira em 2014, logo quando entrou para a graduação. Iniciou com uma monitoria de produção no núcleo da Tijuca, até que conseguiu um estágio de câmera. “Eu fui aprendendo e adquirindo experiências no próprio trabalho. Eu não sabia como manusear, mas os profissionais tiveram toda paciência para me ensinar”, conta. Ao perceber o destaque de Guilherme, a professora e coordenadora da TV UVA Mônica Miranda deu a oportunidade de dirigir e produzir o “TV UVA Notícias”, jornal da faculdade, no qual ficou um ano. Com a expansão do campus Barra, o laboratório de comunicação precisava de uma pessoa experiente e assim ele se tornou contratado da universidade. “Foi um grande desafio, eu não sabia se seria capaz. Mas depois de ver os programas prontos, deu muito orgulho de tudo, e fiquei muito agradecido de terem confiado em mim”, relembra.

Rhuan Ramos

25182451_10209698384487426_5470201925153211855_o
À direita, Rhuan Ramos como apresentador no programa Jogo Aberto da TV UVA / Arquivo Pessoal

Do interior do Rio, Rhuan Ramos sempre sonhou em estudar Jornalismo na UVA. Precisou se mudar para o centro do Estado para seguir com a carreira, após três períodos no campus Tijuca começou a ter dificuldade financeira e pediu ajuda na coordenação. Dessa maneira, conseguiu ser contratado como Assistente Administrativo da Coordenação de Cursos, no campus Barra. “Apesar de ser cansativo ficar desde manhã até a noite na faculdade, a aproximação que tenho de todos os funcionários e estudantes de todos os cursos é compensatória”. Ele ainda conta que é interessante saber dos dois lados, tanto da sala de aula, como dos professores. Rhuan também se inscreveu para a TV UVA como produção e apresentação e já teve oportunidades inesquecíveis. “O momento mais marcante foi quando apresentei o programa “A Dica é”, ver toda aquela equipe de filmagem e os bastidores me deixou nervoso, mas ao mesmo tempo realizado”. Ele alegra-se em agradecer a importância que a Veiga teve em sua vida.

Diego Souza

WhatsApp Image 2017-12-17 at 11.29.57
Ao centro, Diego Souza partipou da campanha para o Hemorio com outros alunos.

Conciliar estudos, trabalho e horas de lazer precisa ter jogo de cintura. Prestes a se formar no Curso de Publicidade e Propaganda, Diego Souza, que também é assistente administrativo da UVA, comenta que no início foi um pouco complicado para lidar com muitas coisas ao mesmo tempo, mas que hoje conseguiu se adaptar. “Mesmo realizando uma série de atividades, procurei manter o foco até pegar o jeito da coisa. Agora está mais tranquilo porque estou me graduando”. Já na relação de afetividade entre professores e outros alunos, Diego comenta que é importante saber separar os ambientes. “Enquanto funcionário, respeito os limites entre meus colegas e os meus superiores, mas tenho uma relação muito boa com todos eles”. Dentre os diversos eventos que aconteceram na faculdade, ele também relembra que no início da graduação participou e ajudou a organizar uma parceria com o Hemorio para ajudar na coleta de sangue para os pacientes que precisavam. ” Fizemos uma campanha de doação de sangue, mobilizamos um shopping inteiro, conseguimos reunir muitas pessoas, desde alunos até funcionários que trabalhavam nas lojas. Estudar e trabalhar na UVA, sem dúvidas, é uma experiência incrível para vida toda”, conclui.

Giovanna Faria, 5° período e Isabelle Amancio,4° período.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s